Ouça artigos da wikipedia ao invés de ler

Fonte: http://www.englishexperts.com.br/
A Wikipedia em inglês tem um projeto de criação de áudio para seus artigos, ou seja,
os artigos lidos em voz alta. Encontrei essa opção recentemente e achei ótimo para treinar
o listening, uma vez que, além do áudio temos o texto escrito para conferirmos se o que escutamos
condiz com a realidade.

O projeto já conta com mais de 750 artigos lidos, a qualidade do áudio é ótima, não perca!

Clique aqui para acessar a Wikipedia Spoken Articles

Visualizando código fonte no firefox com fonte Monaco

Baixe a fonte aqui: http://www.mediafire.com/?2tzwdgwlzdj

Agora abra as preferências do firefox na aba conteúdo
e clique em avançado:


Agora em fonte monoespaçada ...


Veja o resultado:

Linux counter

Linux Counter Logo



#423493 Sérgio Luiz Araújo Silva

Registration created 2006-07-25 22:09:36
Name Sérgio Luiz Araújo Silva
Email (private) voyeg3 em gmail
Email (public)
Homepage http://vivaotux.blogspot.com
Country BR
State Ceará
City Fortaleza

Uma fonte tão bela quanto Monaco



Para baixar acesse aqui:
http://www.ms-studio.com/FontSales/anonymous.html

Outra bela opção:
http://www.levien.com/type/myfonts/inconsolata.html

Inconsolata is a monospace font designed by Raph Levien of Advogato and Ghostscript fame (and quite a few other things).

It is a high-quality font released under the Open Font License (OFL), the community-approved free license specifically designed for fonts and collaborative font design. (See http://scripts.sil.org/OFL for all the details including a extensive FAQ).

A fonte acima pode ser baixada aqui:
http://www.mediafire.com/?nmlm2jzhcoy

Referências:

Usando camadas no inkscape

Este vídeo foi indicação do http://www.allanbrito.com/


Este outro foi postado por min (como fazer um ladrilho)

Mapeando unidades samba facinho no ubuntu

Abra o gerenciador de arquivos e clique no botão indicado na figura



Agroa digite o endereço do compartilhamento na rede, se maiúsculas ou minúsculas
não importa, o que não pode esquecer é quais os caracteres e se os nome tem acento.

 smb://ip-do-servidor/nome com acentuação 




Quando você pressionar ENTER ele pedirá:
Nome de usuário
Grupo de trabalho
Senha

Após digitar as coisas certas nos lugares certos o nautilus será aberto
com seus arquivos de rede visíveis.

Truque final: Adicione um marcador...


...e desmonte o compartilhamento, e logo em seguida repita o processo,
ele perguntará se você quer guardar as senha no chaveiro, se disser sim, nunca mais
ele pedirá a senha para acessar seus arquivos.

Meu vimrc mais atual

Publiquei agora a pouco a versão mais atual do meu vimrc:
http://www.mediafire.com/?t0uzzmg431t

Aprendi muita coisa do vim analisando arquivos vimrc de outras pessoas,
por vezes surgem idéias incríveis, vou citar um exemplo:

O meu mapeamento para remover linhas em branco duplicadas
evoluiu para uma versão que, antes de executar esta ação marca o ponto
em que está, remove as linhas em branco citadas e volta à marca criada no início, isto é especialmente útil pois você pode perder sua concentração de algo se acabar parando em um local do arquivo diverso daquele em que estava (geralmente a última ocorrência da linha em branco duplicada) que muito dificilmente fica onde você está editando.

" para remover linhas em branco duplicadas
"map :%s/\(^\n\{2,}\)/\r/g
"compress empty lines
map my:v/./.,/./-1join`y
Basta clicar no link, divirta-se:
http://www.mediafire.com/?t0uzzmg431t

Peguei também esta dica do Artur Furlan:
wget -c http://arthurfurlan.org/dotfiles/vimrc.txt -O ~/.vimrc

No caso você baixa o vimrc dele, no caso do meu eu não recomendo pois tem
mais de 500 linhas e coias muito específicas

Assuntos Geek's

Estou me propondo a compilar no LaTeX o livro "Como pensar como um cientista da computação" traduzido pelo pessoal da fatec. O trabalho de tradução ficou ótimo, mas o layout dos documentos formatados via LaTeX é um caso à parte.

Os arquivos fonte encontram-se em formato rest (rst) e para trocar
=================================
Capítulo 1: O caminho do programa
=================================

por

\chapter{O caminho do programa}
\label{cha:O caminho do programa}

Comecei usando uma abordagem descrita no próprio livro:
Começe de um algorítimo mais simples e vá incrementando até chegar ao ponto desejado, no vim fiz primeiro uma busca.


/=\+\n\D\+\d:\s\+.*\n=\+

discecando /=\+ ......... uma igualdade ou mais
\n ............ seguido de uma quebra de linha
\D\+............ seguido de um "não dígito" ou mais
\d\+ ........... seguido de um dígito ou mias
: ............ seguido de dois pontos
\s\+ .......... seguido de um espaço ou mais
.* ............ seguido de qualquer coisa
\n ............ seguido de uma quebra de linha
=\+ ........... seguido de uma igualdade ou mais

Esse grpo ".*" (qualquer coisa agora vai para dentro de parênteses)


/=\+\n\D\+\d:\s\+\(.*\)\n=\+

Para o gran finale (referenciar numa substituição a última busca "//")

:%s//\\chapter{\1}\r\\label{\1}/g

Agora vou dar a ordem para executar em todos os arquivos


:bufdo :%s//\\chapter{\1}\r\\label{cha:\1}/g


Para as imagens faça:

:bufdo :%s//\\includegraphics[scale=0.7]{.img\/\1}/g

para salvar tudo:

:wall

Selecionando conteúdo de tags no vim

Você pode selecionar conteúdo de tags html Em modo normal "estando com o cursor dentro das tags". você pode fazer

vit ............ visual inner tag (seleção visual)
dit ............ delete inner tag (deletar)
yit ............ yank inner tag (copiar)

O mesmo pode ser feito com texto entre aspas "como aqui", texto entre parênteses, na verdade não explorei todas as possibilidade.

Atalhos do compiz

Este eu descobri por acaso (adveio de um erro). Estava eu concentrado nos mauais do vim quando resolvi usar o atalho
TeclaWin-Tab
e qual não foi minha surpresa, pois na área de trabalho atual haviam três programas abertos, uma instância do evince, o gvim e o firefox, daí me aparece uma tela do compiz que só você vendo.

Lista gentilmente "copiada" do forum ubuntu :)
link: http://ubuntuforum-br.org/index.php/topic,22750.0.html

Estes são os principais atalhos (shortcuts) do novo Compiz:



1. Cubo: Girar: CTRL + ALT + Botão 1 do Mouse

2. Cubo: Girar com o Teclado: CTRL + ALT + Setas para esquerda ou direita

3. Cubo: Girar com o Teclado levando a Janela: CTRL + ALT + SHIFT + Setas para esquerda ou direita

4. Cubo: Girar com o mouse: No Desktop, girar o Scroll do Mouse

5. Alternador de aplicativos: Padrão: ALT + TAB

6. Alternador de aplicativos: Padrão invertido: ALT + SHIFT + TAB

7. Alternador de aplicativos: Em Anel: SUPER + TAB

8. Alternador de aplicativos: Em Anel invertido: SUPER + SHIFT + TAB

9. Chuva: Iniciar e parar: SHIFT + F9

10. Chuva: Limpador de Para-brisa: SHIFT + F8

11. Scrrenshot (Print Screen): SUPER + Botão 1 do Mouse selecionando a área

12. Agrupador de Janelas: Selecionar Janelas: SUPER + S

13. Agrupador de Janelas: Agrupar: SUPER + T

14. Agrupador de Janelas: Desagrupar: SUPER + U

15. Agrupador de Janelas: Alternar: Super + Teclas para esquerda ou direita

16. Transparência: ALT + Scroll do Mouse

17. Zoom: SUPER + Scroll do Mouse

18. Anotador: Riscar: ALT + SUPER + Botão 1 do Mouse

19. Anotador: Apagar: ALT + SUPER + K

20. Raios: Iniciar ou parar: SUPER + F5

21. Benchmark: Iniciar ou parar: SUPER + F12

22. Fogo: Iniciar: SUPER + SHIFT + Botão 1 do Mouse

23. Fogo: Limpar: SUPER + SHIFT + C

24. Posicionar Janelas: Canto superior direito da tela

25. Exposição dos ambientes: Canto superior esquerdo da tela



obs.: a lista foi retirada do blog do Rafael Benevides.

Como consta do título, já que eu estou usando e gostando do novo Compiz, muito melhor que o Beryl, gostaria da opinião dos demais membros do Fórum que o utilizam, além de eventuais dicas de utilização.

Uma dica, que eu já postei aqui, é inicializar o novo Compiz junto com o Gnome através do fusion-icon, colocado nos programas iniciais (Sistema -> Preferências -> Sessões; Novo: nome: fusion-icon; comando: fusion-icon).

O fusion-icon (e o Compiz) foram instalados por mim segundo o Tutorial do iGama, postado aqui no Fórum.

Vim para programadores php

Na verdade há dicas aqui que valem ouro pra qualquer um, que um exemplo?


gi ............. entra em modo insert no ponto exato do ultimo insert
gCTRLg ......... mostra detalhes do arquivo como número de caracteres e palavras
[I e ]I ..... lista as linhas que contém a palavra sob o cursor

se deseja apagar algo sem afetar outros registros (de deleção ou cópia por exemplo)
use o registro buraco negro, veja como:

"_dd

tente colar o que foi deletado (dd linha atual) e vaja que não está mais
disponível

Para baixar direto do mediafire clique aqui.


Read this document on Scribd: VIM for (PHP) Programmers

Editando múltiplos arquivos no Vim

Pra começar vamos abrir uma porrada de arquivos

gvim ~/caminho/para/os/arquivos/*.txt

agora que todos estão carregados (só aparece um na tela)
você pode ir para o próximo salvando o arquivo atual

:wn ............... grava e vai para o próximo

Mas se quizer visualizar a lista completa:

:ls

se quizer editar o 8º buffer

:bu 8

se quizer salvar todos de uma vez

:wall

se quizer fazer uma substituição em todos de uma vez

:bufdo :%s/isto/aquilo/g | normal :w

Você pode ainda dividir a janela com:
Control-w-n
e pular para janela de cima com
Control-w-k
para a janela de baixo
Control-w-j
fechar a janela inativa
Control-w-o

Montando automaticamente compartilhamentos samba

Uma dica mais fácil para acessar a rede samba
http://vivaotux.blogspot.com/2008/07/mapeando-unidades-samba-facinho-no.html


Publiquei no meu wiki: http://linuxdicas.wikispaces.com/samba
um pequeno guia sobre como montar automaticamente compartilhamentos samba, a documentação gerada foi baseada no wiki do ubuntu brasil:
http://wiki.ubuntubrasil.org/Samba
e no forum internacional:
http://ubuntuforums.org/showthread.php?t=280473&page=10

O que muda praticamente é uma opção de montagem que parece haver mudado, pelo menos comigo funcionou direitinho:
Ao invés de usar
fmask=770,dmask=770

Usei
file_mode=0777,dir_mode=0777

A indústria da propaganda mente

Dizer que propaganda não induz ao vício do alcool ou que não força crianças a gritar desesperadamente por brinquedos caros é uma grande falácia. E o que dizer dos alimentos cheios de produtos perigosos como o Redbull que tem uma substância que pode lhe causar um ataque fulminante do coração?

Essa indústria da propaganda só visa o lucro, manter seus próprios vícios às custas da miséria alheia, e ainda vemos donos de redes de televisão travestidos de defensores da liberdade de imprensa. Liberdade de imprensa seria mostrar certos desamandos como a imoralidade de nossa pesudo justiça.

Um exemplo claro foi a "imparcialidade" da Rede Globo no caso do referendo das armas, se eles quizessem teriam sido tão incisivos como no caso do Fernando Collor de Melo, pra não falar do Mensalão.

Mais um modo de agilizar sua digitação no vim

Criaremos uma função que lhe permitirá pular para seções com o formato
<+palavra+> apenas usando o atalho "control-j"
que no vim podemos chamar carinhosamente de ^j :)

Mãos a obra:
Edite o seu ~/.vimrc e cole este conteúdo

" ^J jumps to the next marker
function! LoadFileTemplate()
"silent! 0r ~/.vim/templates/%:e.tmpl
syn match vimTemplateMarker "<+.\++>" containedin=ALL
hi vimTemplateMarker guifg=#67a42c guibg=#112300 gui=bold
endfunction
function! JumpToNextPlaceholder()
let old_query = getreg('/')
echo search("<+.\\++>")
exec "norm! c/+>/e\"
call setreg('/', old_query)
endfunction
autocmd BufNewFile * :call LoadFileTemplate()
nnoremap :call JumpToNextPlaceholder()a
inoremap :call JumpToNextPlaceholder()a


Vocêpode descomentar a linha que carrega o template, um exemplo possível seria:

"dentro do vimrc uma abreviação legal seria (para python)
iabbr for for <+i+> in <+intervalo+>:<+i+>


for <+i+> in <+intervalo+>:
<+ação+>

Na prática é uma espécie de snippets mais simples, sem a necessidade de plugin ou coisa do gênero, você pode também criar abreviações no modo insert "iabbr" que contenham trechos de código comuns e dessa forma melhorar seu desempenho.

Livro Hacking Vim

Se você como eu é um amante do vim não pode deixar de baixar este livro, e seja rápido, a url que achei pode não funcionar em algum tempo. A url mágica é esta. Url alternativa: aqui.

pixhost.eu/avaxhome/avaxhome/2007-06-04/1847190936.jpg

Converta seu arquivo do gvim em html

No gvim você abre o menu syntax (se não me engano) e encontra uma opção para converter, mas pode usar o comando

:runtime! syntax/2html.vim

Warning: This is slow!

*:TOhtml*
Or use the ":TOhtml" user command. It is defined in a standard plugin.
":TOhtml" also works with a range and in a Visual area:

:10,40TOhtml


Menos alcool menos desgraças

Saúde
Após Lei Seca no Trânsito atendimento a vítimas de acidentes cai 55%

14/07/2008 - 00:54:00
Fernandópolis

Assessoria de Imprensa/ Da Redação
 
Desde a implantação da lei seca, que pune com multas pesadas e até detenção quem dirigir após ingerir bebidas alcoólicas, o atendimento a vítimas de acidentes de trânsito caiu 55% na cidade de São Paulo. É o que aponta levantamento da Secretaria de Estado da Saúde com base em dados dos três principais hospitais estaduais referência em trauma.

No primeiro final de semana de vigência da nova legislação, penúltimo do mês de junho, esses hospitais realizaram 114 atendimentos a vítimas de acidentes, contra 51 registrados nos dias 4, 5 e 6 de julho. No fim de semana dos dias 27 a 29 foram 92 atendimentos.

No Hospital Estadual do Mandaqui, principal e emergência da zona norte, foram atendidos no último final de semana 15 pacientes, contra 42 no anterior e 45 entre os dias 20 e 22 de junho. Já o Hospital Regional Sul, em Santo Amaro, zona sul da cidade, atendeu apenas nove vítimas de acidentes neste fim de semana, contra 26 no anterior e 36 no penúltimo final de semana de junho.

Já o Hospital das Clínicas atendeu 27 pacientes entre os dias 4 e 6 de julho. O número é superior aos 24 atendimentos do final de semana anterior, mas ainda inferior aos 33 registrados entre os dias 20 e 22 de junho. Nos dias 13 a 15 de junho o HC havia atendido 38 pessoas por acidente.

"Os paulistanos começam a respeitar cada vez mais a nova lei, e a conseqüência é a diminuição dos atendimentos nos hospitais. Os dados indicam que de fato a ingestão de álcool era fator preponderante para os acidentes de trânsito, principalmente os ocorridos nos finais de semana", afirma o secretário de Estado da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata.

Inserindo códigos fonte em arquivos LaTeX

No preâmbulo do seu documento use:

\usepackage{listings} % para código fonte

% opções do pacote listings
\lstset{numbers=left,
language=python,
stepnumber=1,
firstnumber=1,
numberstyle=\tiny,
extendedchars=true,
breaklines=true,
frame=tb,
basicstyle=\footnotesize,
stringstyle=\ttfamily,
showstringspaces=false
backgroundcolor=\color{gray}
}

% defini um novo comando \filepre{nomedoarquivo}
% e um novo ambiente \begin{pre} ... \end{pre}
\newcomand{filepre}[1]{\lstinputlisting{#1}}
\newenvironment{pre}{\begin{lstlisting}}{\end{lstlisting}}


Para inserir um código de outra linguagem faça:

\lstinputlisting[language=C, label=hello, caption={``Hello World na linguagem C}]{hello.c}

Referências:

Inserindo código fonte no blogger

você deve usar as tags pre do html

for i in range(10):
print i

Discografia do Alan Parsons no Brasilmedia

http://newbrasilmidia.blogspot.com/2008/06/alan-parsons-project-discografia.html

Há, quase me esqueço de postar a Discografia do Iron Maiden:
http://newbrasilmidia.blogspot.com/2008/06/final-da-dcada-de-70-o-heavy-metal-no.html

Deep Purple - Highway Star

Deep Purple - Highway Star


Found at skreemr.com

Jethro Tull - Living in the Past

Jethro Tull - Living in the Past


Found at skreemr.com

Gerador de provas em python

Este é um programa para a criação automática de provas diferentes, com questões aleatórias, a partir de um banco de questões... leia tudo!

Jumbo


Miséria e Luxo

Um papel de parede para fazer-nos pensar

http://www.zshare.net/image/1511316356ad5b89/

Denúncia

O site: http://miriamsalles.info publicou uma denúncia sobre os senadores que aprovaram uma medida provisória para acabar de vez com a Amazônia:
veja aqui: http://miriamsalles.info/wp/?p=637

Votaram 37 senadores e um deles é o Senador Romero Jucá.

Há um vídeo bastante esclarecedor:

Dica legal para uso do CSS

Simples assim...
http://blog.improveit.com.br/articles/2008/06/26/css-design-o-denominador-comum

essa é é o máximo

Você teria coragem de descordar?

Somando números de 1 a 100 no python

Vou logo avisando é muito difícil :)

Abra o terminal e em seguida o interpretador, e digite

sum(xrange(1,101)

Usei o xrange pois ao contrádio do range o xrange é uma classe especial para iterarções maiores, ou seja, roda mais rápido.

mailto no firefox associado ao gmail

Referências: GoogleDiscovery

  1. Acesse o Gmail e entre em sua conta.
  2. Dentro do Gmail, copie e cole o seguinte comando na barra de endereços do navegador:

    javascript:window.navigator.registerProtocolHandler("mailto","https://mail.google.com/mail/?extsrc=mailto&url=%s","Gmail")

    *Google Apps users também podem sua esse código(apenas altere o endereço para seu domínio):
    javascript:window.navigator.registerProtocolHandler("mailto","https://mail.google.com/a/yourdomain.com/mail/?extsrc=mailto&url=%s","Gmail")

  3. Clique em "Add Application(adicione aplicação)" quando surgir na tela. Feito isto, adicione o Gmail a sua lista de clientes de e-mail no navegador.

  4. Selecione o Gmail como seu e-mail padrão, esta ação permitirá abrir o Gmail automaticamente em caso de links diretatos para um endereço de e-mail. Ao surgir a opção "Remember my choice for mailto links(relembre esta minha escolha para links mailto)", ative esta funcionalidade para evitar que o navegador volte a apresentar a mesma notificação.
Veja esta dica também no gmail blog.

Organizando o vimrc

Este pequeno artigo trata da organiação do arquivo de configuração do vim, mais precisamente sobre como usar folders para por fim ao caos.

Definição de foler:

Folders são como dobras nas quais o vim esconde partes do texto, algo assim...

  +-- 10 linhas ------------------------------------------

Um modo de entender rapidamente como funcionam as dobras no vim seria criando um folder para as próximas 10 (dez) linhas com o comando abaixo:

   zf10j

Métodos de dobras

  • sintaxe syntax
  • indentação indent
  • marcas marker
  • manual

Para determinar o tipo de dobra faça

 :set foldmethod=tipo

onde o tipo pode ser um dos tipos listados acima, exemplo:

 :set foldmethod=marker

Outro modo para determinar o método de dobra seria colocando na última linha do seu arquivo algo assim:

 vim: set fdm=marker tw=78:ts=4: ft:vim:

O meu vimrc está grande demais, quando tenho que colocar melhorias acontece de duplicar coisas ou inserir trechos que entram em conflito com outros, para botar ordem na casa resolvi usar folders, acho que deveria ter usado isso a mais tempo, sabe como é, coisas óbvias por vezes nos escapam. Vejamos então como fazer:

Colocar na ultima linha do vimrc

vim:tw=78:ts=4:ft=vim:fdm=marker:norl:

O trecho fdm=marker diz ao vim para usar o método de folder marca, que no caso é assim...

""" nome da seção {{{
" trecho de código
map :w
""" fim do folder }}}

Dessa forma o vim ao abrir condensará trechos entre as marcas laranja restando apenas
saber como abrir e fechar os danados:

Manipulando dobras

 zo ............... abre uma dobra
zR ............... abre todas as dobras do arquivo atual
zc ............... fecha uma dobra
zfap ............. cria uma dobra para o parágrafo 'ap' atual
zd ............... apaga o folder (não o seu conteúdo)
zf/casa .......... cria uma dobra até a palavra casa
zf'a ............. cria uma dobra até a marca 'a'
zj ............... desce 'j' até a próxima dobra
zk ............... sobe 'k' até a dobra anterior

Para abrir e fechar as dobras "em modo normal" usando a barra de espaços coloque o trecho abaixo no seu arquivo de configuração do vim .vimrc - veja como editar preferências no vim

   nnoremap  @=((foldclosed(line('.')) <>

Bom pessoal, só pra terminar gostaria de dizer uma coisa bem legal. Ultimamente me pego
pescando dicas em artigos meus de tempos atráz, ou seja, a documentação que agente faz muitas vezes serve pra nós mesmos, cito grande parte dos códigos postos aqui, foram pesquisas minhas, lendo a documentação em inglês (mais precisamente da ajuda do vim) e postadas no wikibooks!

Referências:
* http://pt.wikibooks.org/wiki/Vim:_Usando_folders

Veja também:
* http://vivaotux.blogspot.com/2008/11/voc-conhece-as-modelines-do-vim.html

Christiano Anderson: Instalando modem ZTE MF622 Claro 3G no Ubuntu



 
 

Enviado para você por Sérgio através do Google Reader:

 
 

via Planeta Ubuntu Brasil de Christiano Anderson em 06/07/08

Christiano Anderson

Ontem resolvi comprar o modem USB para usar conexão banda larga[bb] pela minha operadora de celular[bb]. Fui sem muito receio, pois já li vários relatos de compatibilidade entre esses modems e o Ubuntu. Depois de quase uma hora para ser atendido, chegou minha vez e por sorte, ainda tinha dois modems disponíveis (esse negócio deve estar vendendo como água). Depois de mais uma hora em burocracias e assinatura de vários documentos, saí da loja com o modem e fui correndo para casa testar o novo brinquedinho.

Quando pluguei o modem no notebook[bb], veio a primeira surpresa. O dispositivo foi reconhecido como uma unidade de disco e não como modem. No início achei que poderia ser problemas com o dispositivo, mas depois de algumas consultas no Google, verifiquei que esse é um procedimento normal. A explicação mais lógica é o fato de usuários Windows poderem instalar o seu driver quando o dispositivo é conectado pela primeira vez, mas de certa forma o dispositivo ignora usuários de outros sistemas operacionais. Junto com o Kit da Claro, vem um CD para instalação em Mac OSX, mas os usuários de GNU/Linux são totalmente ignorados.

Na hora fiquei um pouco decepcionado, mas depois de mais alguns minutos de consultas no Google, encontrei diversas receitas e fui testando sem sucesso a maioria. Até que cheguei na página de uma ferramenta chamada usb_modeswitch e nessa página, minha esperança de fazer o modem funcionar com sucesso no Ubuntu. De fato esse foi o caminho que deu certo e faz dest post uma prova (estou escrevendo esse post usando a conexão da Claro 3G).

Como o modem é reconhecido no sistema como uma unidade de disco, é necessário fazer uma manobra para desmontá-lo e montá-lo como um modem e dessa forma poder se conectar à internet[bb]. A instalação de alguns pacotes e uma pequena alteração no sistema é necessária para fazer tudo funcionar perfeitamente. Os passos que segui e deram certo foram o seguinte:

  1. Instale a libusb-dev em seu sistema (aptitude install libusb-dev);

  2. Baixe a última versão do usb_modeswitch aqui;

  3. Descompacte o pacote e compile seu conteúdo (execute o ./compile.sh);

  4. Copie o binário usb_modeswitch para /usr/local/sbin;

  5. Copie o usb_modeswitch.conf para /etc

  6. Edite o /etc/modeswitch.conf e procure pelo bloco do MFS622, descomente todo seu conteúdo (remova o ";" que aparece no início de cada linha). Comente ou apague todo o restante do arquivo, deixando apenas esse bloco. Se preferir, baixe o meu arquivo pronto aqui.

  7. Baixe esse arquivo e grave como /etc/udev/rules.d/15-zte-mf622.rules (esse arquivo é bastante útil, pois quando você espetar o modem na entrada USB, ele vai automaticamente desmontar o volume de disco e fazer o seu sistema reconhecer como um modem USB[bb]. É recomendado rebootar a máquina para continuar porque todo o udev é lido durante o boot da máquina).

  8. Configure e crie uma conta com a ferramenta pppconfig conforme a tela abaixo. No meu caso eu optei pelo pppconfig porque dessa forma consigo facilmente configurar uma conexão automática durante o boot da máquina, mas você pode testar com seu discador de preferência (gnome-ppp ou outro de sua preferência).

Finalmente é hora de testar a conexão, plugue o modem em seu computador[bb], fique monitorando via /var/log/messages se o dispositivo será reconhecido como unidade de disco. Se tudo der certo, dentro de uns 5 segundos vai aparecer no messages a mudança do dispositivo do disco para modem USB. Feito isso, basta digitar o comando pon claro e continuar monitorando se vai conectar com sucesso. No messages vai aparecer o momento em que a conexão for estabelecida e qual IP foi atribuído à sua conexão PPP.

Essa foi a via crucis que segui para fazer o modem funcionar perfeitamente no meu Ubuntu, provavelmente a mesma técnica sirva para outras distribuições. Depois disso você pode criar um ícone em sua área de trabalho para fazer o pon claro automaticamente. Para desconectar, basta um poff claro.

Uma dica: se por acaso não conseguir conexão, volte no pppconfig, edite a conexão claro, vá até o menu de opções avançadas e mude a string de inicialização de ATZ para apenas AT. Em vários outros artigos eu encontrei diversas strings, no meu caso funcionou apenas com a técnica explicada nesse post.

Alguns comentários sobre a conexão:

Eu esperava mais em termos de performance, mas a conexão quebra o galho em lugares que não tem outra alternativa. Notei uma certa instabilidade, como ficar alguns minutos sem sinal algum, mas o sinal vai voltando e a performance melhorando em ciclos. Acredito que o serviço ainda é novo e a rede está passando por diversos upgrades, pelo menos ter uma conexão assim é melhor que nada em locais onde não há alternativas.

Bookmark


 
 

Coisas que você pode fazer a partir daqui:

 
 

Além dos snippets

Caio Moritz Ronchi publicou em seu blog uma ótima dica sobre complementos de código com o vim, para você que ama de paixão este editor, não deixe de anotar esta grande dica o link é este:
http://www.caiomoritz.com/2008/01/04/autocompletar-dentro-do-vim7/

Comparando arquvos com o vimdiff

O amado vim tem um modo muito útil para você que constantemente altera arquivos de configuração, é o modo vimdiff, sua utilização é super fácil:
vimdiff arquivo1 arquivo2

O vim abrirá os 2 arquivos lado a lado e destacará as alterações com um fundo vermelho.

Segundo rádio suiça Farcs receberam dinheiro para liberar refens

fonte: Adital
Resta saber se o resgate foi pago para as Farcs ou foi suborno.

Colômbia - 04.07.08 - Libertação dos reféns da Farcs foi comprada por cerca de US$ 20 milhões, afirma rádio suíça

O jeito certo de recuperar o grub no ubuntu

Seguindo dicas da comunidade descobri uma maneira efetiva para recuperar o grub:

  1. Boot com o cd de instalação

  2. escolher “recuperar sistema defeituoso”

  3. indicar a partiação onde está o ubuntu, no meu caso havia instalado o windows para um amigo depois e o grub sumiu, mas tomei o cuidado de deixar o ubuntu na partição 1, usei o gparted para isto.

  4. caso ele não consiga sozinho instalar o grub entre no prompt (o instalador lhe dá esta opçao na mesma tela de reinstalação do grub)

    Obs: A essa altura ele já montou a partição que você indicou na raiz
    e aí está o pulo do gato!

  5. agora o gran finale:

    grub-install -–root-directory=/ /dev/sda

Dicas de comandos do vim

:his / ............ mostra o histórico de buscas
:his : 10,20 ... mostra os comandos de 10 a 20
q: ............... abre uma janela com histórico para efetivar pressione enter

" Outros atalhos para a linha de comando do vim
" Obs: ^ representa control
" " atalhos da linha de comando
" ^u ....... apaga para esquerda
" ^w ....... apaga a palavra antes do cursor
" ^b ....... begin of line
" ^e ....... end of line
" ^c ....... sai da linha de comando sem executar
" ^d ....... completa o comando
" :history / 6,12
" :^r a ....... insere o conteúdo do registro a no comano
" :^r / ....... insere a última busca

linux-cookbook

Grupos do Google
Participe do grupo linux-cookbook
E-mail:
Visitar este grupo